Artigo

Artigo

Trabalho e sindicalismo decentes

Enquanto o sindicalismo ocupa a berlinda no debate sobre gestão, o fato é que a organização sindical vem dando passos largos em direção à sua razão de ser, que é a defesa do trabalhador.

Enquanto o sindicalismo ocupa a berlinda no debate sobre gestão, o fato é que a organização sindical vem dando passos largos em direção à sua razão de ser, que é a defesa do trabalhador. A Agenda do Trabalho Decente apresenta para as entidades sindicais - dos ramos profissional e empresarial – um modelo de conduta para que sigam contribuindo para a coletividade, a partir da compreensão de que o trabalho é um bem social por excelência.

Para fazer frente aos desafios da globalização, a Agenda se baseia na defesa de questões consideradas básicas, como o respeito às normas internacionais do trabalho, a promoção do emprego de qualidade, a extensão da proteção social e o diálogo. Esses quatro pilares amparam uma visão na qual o trabalho infantil e a precarização das relações trabalhistas não fazem parte e que prevê uma cruzada mundial para que acordos e, sobretudo, convenções coletivas incluam cláusulas que reduzam ao mínimo a discriminação a jovens em busca do primeiro emprego, mulheres, afrodescentes e pessoas com mais de 40 anos de idade.

A nova visão considera a preservação do meio ambiente, bem como do ambiente ergonométrico, como vitais, pois o Trabalho Decente é visto como um objetivo político a ser alcançado. Desenvolvimento sustentável e inclusão social passam a ser perseguidos como metas reais, um dependendo do outro, no mesmo nível em que interagem emprego, formação profissional e informalidade. A Agenda do Trabalho Decente cumpre compromissos definidos nos oito Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM) estabelecidos pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e aponta para uma nova ordem nas relações trabalhistas mundiais.

No Brasil, o Sindicato dos Comerciários de Porto Alegre inscreveu o Trabalho Decente na primeira cláusula da última Convenção Coletiva de Trabalho da categoria. Também a Força Sindical, central a quem a entidade é filiada, acaba de assumir a questão como uma de suas bandeiras. Em São Paulo, no dia 23 de novembro, a Força Sindical assinou protocolo de intenções junto à União Geral dos Trabalhadores de Portugal, à União Geral dos Trabalhadores da Espanha, à Central Geral dos Trabalhadores da Argentina, à Confederacion Revolucionária de Obreros y Campesinos, do México, e à Uil Pensionati, da Itália.

Apesar de tudo, uma nova ordem também é possível no mundo do trabalho, com sindicalismo e Trabalho Decente. A Agenda do Trabalho Decente poderá, inclusive, ajudar ao movimento sindical em seu constante processo de depuração, no qual só cabem sindicalistas compromissados com uma dimensão social justa e inclusiva nos processos de integração regional, hemisférica e global.

Nilton Neco
Presidente do Sindicato dos Comerciários e Porto Alegre e Secretário de Relações Internacionais da Força Sindical

Enviar artigo para amigo(a)

Imagem de verificação

Outros artigos

Twitter

Jornais

Vídeos

8º Congresso da Força Sindical-RS

Confira os principais momentos do Congresso Estadual da Central

Outros vídeos

Campanhas






Quem somos

Sobre a Força Diretoria Atuação no Estado Metas Filiados

Secretarias

Juventude Meio ambiente Formação Sindical Saúde do trabalhador

Materias oficias

Álbum de fotos Vídeos Jornais Logotipos da Força Jingles

Publicações

Notícias Agenda Tweets Interativas Artigos

Comunicação

Fale conosco Informativo Canal RSS Como chegar Mapa do site

Campanhas

Fórum Social Mundial Faixa de Fronteira 2015 Bioma Pampa Posto de Saúde 24h Trabalho Decente
Força Sindical do Rio Grande do Sul
Cristovão Colombo, 203 - Porto Alegre
Rio Grande do Sul, Brasil
CEP 90560-003 - Fone: (51) 3228.0098
contato@fsindical-rs.org.br