Artigo

Artigo

Um governo que ignora os trabalhadores

Clàudio Janta, presidente da Força Sindical-RS

Nem mesmo a crise foi capaz de sensibilizar a representante maior do governo, que continua a só ter olhos para os empresários.

Inaceitável o resultado da reunião desta quarta-feira, 26 de junho, da presidente da República, Dilma Rousseff, com as Centrais Sindicais. Mesmo diante da gravidade do momento, a presidente limitou-se a dizer que a reunião tinha por objetivo apenas ouvir sugestões para um futuro plebiscito. Ou seja, nem a crise foi capaz de sensibilizar a representante maior do governo, que continua a só ter olhos para os empresários.

Nós temos compromisso com a defesa da democracia, e repudiamos qualquer tentativa golpista, mas não podemos aceitar que trabalhadores sejam ignorados. Exigimos o cumprimento da já histórica PAUTA TRABALHISTA, entregue à Presidente da República antes mesmo de sua eleição, e reafirmada nas ruas por várias oportunidades. Os trabalhadores sustentaram com mobilização, trabalho e consumo o combate à crise que, felizmente, não atingiu o Brasil.

Defendemos o fim do Fator Previdenciário, a valorização dos aposentados, a correção da tabela do Imposto de Renda e a destinação de 10% do PIB para a educação e 10% do orçamento da União para a saúde. Também somos contra a aprovação da PEC 4330/04, que permite a prática da terceirização de serviços em todas as atividades das empresas e órgãos públicos, precarizando as condições de trabalho. E exigimos a reforma agrária e o fim dos leilões do pré-sal, que comprometem a soberania nacional.

Também defendemos a mudança dos rumos da economia, com política industrial, qualificação da mão-de-obra nacional, redução de impostos e juros baixos. Por outro lado, é decisivo implantar uma Reforma Tributária no país, que redistribua de forma equânime os impostos nacionais, sem penalizar Estados e Municípios em favor da União. Ao mesmo tempo, temos de distribuir as responsabilidades sobre os custos dos serviços públicos, dividindo com os empresários o financiamento da infra-estrutura nacional.

Se a presidente Dilma Rousseff acredita que vai manter, diferente do Governo Lula, a postura distanciada dos trabalhadores, comete um grave erro histórico, que compromete o equilíbrio da sociedade brasileira. Ninguém governou o Brasil até hoje apelando apenas para a cooptação dos trabalhadores, ou de qualquer setor, sem qualquer compromisso com os seus interesses objetivos. Por isso, vamos marchar de hoje até o dia 11 em todas as cidades do país, somando-nos a todos que exigem respeito, dignidade no trabalho e direitos.

 

Clàudio Janta

Presidente da Força Sindical-RS

Enviar artigo para amigo(a)

Imagem de verificação

Outros artigos

Twitter

Jornais

Vídeos

8º Congresso da Força Sindical-RS

Confira os principais momentos do Congresso Estadual da Central

Outros vídeos

Campanhas






Quem somos

Sobre a Força Diretoria Atuação no Estado Metas Filiados

Secretarias

Juventude Meio ambiente Formação Sindical Saúde do trabalhador

Materias oficias

Álbum de fotos Vídeos Jornais Logotipos da Força Jingles

Publicações

Notícias Agenda Tweets Interativas Artigos

Comunicação

Fale conosco Informativo Canal RSS Como chegar Mapa do site

Campanhas

Fórum Social Mundial Faixa de Fronteira 2015 Bioma Pampa Posto de Saúde 24h Trabalho Decente
Força Sindical do Rio Grande do Sul
Cristovão Colombo, 203 - Porto Alegre
Rio Grande do Sul, Brasil
CEP 90560-003 - Fone: (51) 3228.0098
contato@fsindical-rs.org.br