Artigo

Artigo

Unificar a luta para fechar um bom acordo

No momento em que a inflação como um fantasma volta a assustar os trabalhadores, a Força Sindical lança a palavra de ordem "campanha salarial unificada".

No momento em que a inflação como um fantasma volta a assustar os trabalhadores, a Força Sindical lança a palavra de ordem "campanha salarial unificada".

O objetivo é elaborar uma pauta comum de reivindicações que atraia para a luta trabalhadores ligados a todas as centrais sindicais que têm data-base de julho a dezembro deste ano.

Apesar de já estar claro que os salários não são responsáveis pela aceleração da inflação, temos de manter a luta pela reposição da inflação mais aumento real. Não podemos abrir mão disso.

Nem queremos a volta da indexação salarial. É equivocada a proposta de projetar para o futuro a inflação passada, gerando assim um círculo vicioso em que a inflação de amanhã será, no mínimo, a inflação atual e mais alguma coisa.

Mas não podemos ficar de braços cruzados. Temos de exigir ganho real nas negociações coletivas do segundo semestre por entender que o aumento do poder aquisitivo não interfere na oscilação dos preços.

O ganhos salariais obtidos no ano passado (chegou no máximo a 2% acima o INPC) e no primeiro semestre de 2008 (até 1% acima do INPC) não pressionaram a taxa inflacionária porque a produtividade industrial chegou a 4,5%, nos últimos 12 meses encerrados em abril.

Com base em experiências passadas, o movimento sindical sabe que o gatilho salarial provoca um efeito devastador na vida dos trabalhadores.

Temos de combater a inflação — provocada pelo elevação dos preços dos alimentos e do petróleo — aumentando a área plantada, fazendo estoques reguladores e subsidiando os preços dos gêneros de primeira necessidade para as camadas mais pobres da população.

Nossas reivindicações salariais têm de estar vinculadas aos ganhos de produtividade. É uma boa exigir abono salarial, aumento da correção da Tabela do Imposto de Renda, vale alimentação, cesta básica e redução dos preços dos alimentos de primeira necessidade para quem já fechou a data-base.

Quem já está em campanha salarial, a proposta é reivindicar reposição da inflação mais aumento real. É o mínimo que o movimento sindical pode exigir.

Paulo Pereira da Silva, Paulinho
Presidente da Força Sindical

Enviar artigo para amigo(a)

Imagem de verificação

Outros artigos

Twitter

Jornais

Vídeos

8º Congresso da Força Sindical-RS

Confira os principais momentos do Congresso Estadual da Central

Outros vídeos

Campanhas






Quem somos

Sobre a Força Diretoria Atuação no Estado Metas Filiados

Secretarias

Juventude Meio ambiente Formação Sindical Saúde do trabalhador

Materias oficias

Álbum de fotos Vídeos Jornais Logotipos da Força Jingles

Publicações

Notícias Agenda Tweets Interativas Artigos

Comunicação

Fale conosco Informativo Canal RSS Como chegar Mapa do site

Campanhas

Fórum Social Mundial Faixa de Fronteira 2015 Bioma Pampa Posto de Saúde 24h Trabalho Decente
Força Sindical do Rio Grande do Sul
Cristovão Colombo, 203 - Porto Alegre
Rio Grande do Sul, Brasil
CEP 90560-003 - Fone: (51) 3228.0098
contato@fsindical-rs.org.br