Notícias

Seguro 07/06/2016 16:10

4 de 10 pedidos de seguro-desemprego ficam na ‘malha fina’

Levantamento mostra que aumento de casos se intensificou depois da implantação de um novo sistema antifraude.

Praticamente dobrou o número de pessoas que enfrentam dificuldades na liberação do seguro-desemprego em São Paulo. Levantamento feito pelo Estado com a Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (Sert), órgão que recebe pedidos pelo benefício federal no Estado, aponta que cerca de 4 em cada 10 solicitações (38% dos casos) ficaram presas na “malha fina” do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), entre janeiro e maio de 2016.

A situação tem se intensificado desde o dia 20 de abril, com a inauguração de uma nova versão do sistema antifraudes para a liberação do benefício, batizado de Mais Empregos. A nova tecnologia passou a cruzar as informações dos segurados e das empresas com os bancos de dados da Receita Federal e da Caixa Econômica Federal (CEF).

Na prática, o efeito imediato é que, para algumas pessoas, o tempo para a obtenção do seguro, que normalmente leva 30 dias depois de protocolado o pedido, saltou para 120 dias. Acrescidos os trâmites iniciais, a ida e vinda de recursos e os prazos de agendamento nos departamentos públicos, esse prazo pode se estender por até oito meses desde a baixa na carteira de trabalho, segundo conta o supervisor-geral do seguro-desemprego da Sert, Miguel Sanches. “Essa é uma realidade nova que o segurado enfrenta”, conta Sanches. “É muito tempo para quem está desempregado.”

Alternativas. A analista de recursos humanos Regina Nonato foi demitida no dia 25 de abril, entrou com o pedido para o seguro na sexta-feira passada, e descobriu que precisaria reagendar um novo atendimento no MTE. Segundo ela, o atendente da Sert avisou que o prazo para agendamento em São Paulo era dezembro. Mas que, em São Carlos, poderia conseguir em 30 dias. Ela pensa em seguir o conselho. “Acho que vou para o interior. Moro perto da Raposo Tavares. Vale qualquer coisa. Se eu não arrumar outro emprego, como eu vou viver até dezembro?”

Outra que tem plano de pegar a estrada e procurar postos do MTE fora da capital é Renata Sousa. Sem emprego desde o dia 27 de abril, ela conta que tentou protocolar uma solicitação por três dias, até que descobriu que seu processo foi bloqueado. “Eu recebi uma carta escrita assim: ‘vínculo não encontrado ou divergente’. Ninguém me explicou o motivo”, afirma ela, que buscava informações na agência do MTE no centro de São Paulo. “Eles não deixam entrar. Dizem que tem de agendar pela internet. É muito descaso com a gente.”

Na porta da agência, Renata é acompanhada a distância por quatro seguranças, que olham tudo e ficam posicionados em frente à porta de entrada. Quem tenta entrar sem atendimento agendado para o dia, é barrado. “Minha ordem é não deixar ninguém passar da porta de entrada”, diz um segurança. Questionado se não era possível acessar o balcão de informações localizado a cerca de cinco metros da porta, já do lado de dentro da agência, ele dizia que não porque já teve muita “confusão”. “O cidadão vinha e ficava nervoso. Nesta semana, a gente precisou recorreu à viatura (da PM) um monte de vezes.”

Na agência do Poupatempo da Sé, que recebe em média 400 solicitações de seguro-desemprego por dia, o atendente Marvon Santos Junior diz que pelo menos a metade dos pedidos fica travada no sistema. “A gente encaminha para o ministério (do Trabalho) umas 200 pessoas por dia”, conta ele, que trabalha há três anos no mesmo local e conta que a situação é nova. “Além disso, o sistema cai o tempo inteiro. Às vezes, fica horas fora do ar”, diz Santos.

Geraldina Moraes, operadora de caixa de supermercados, conta que foi difícil encontrar um posto com sistema em operação. “Eu fui no da zona norte, no Tucuruvi, e estava tudo parado. Daí eu fui até a Rua Voluntários da Pátria e também estavam sem sistema”, diz ela, sem emprego há um mês.

Procurado pela reportagem, o Ministério do Trabalho afirma que vai reprocessar todos os requerimentos de seguro-desemprego protocolados desde 20 de abril, quando passou a trabalhar com a nova versão do sistema Mais Empregos. Em nota, diz que “o objetivo é reduzir o número de requerimentos bloqueados, que exigiriam análise posterior. Em alguns casos, os trabalhadores serão dispensados de solicitar abertura de processos administrativos, agilizando a reanálise e o pagamento do benefício”.

Estado de São Paulo

 

Link alternativo: http://fsindical-rs.org.br/n/21Y

Versão desta notícia em PDF




Tags:    força sindical   rs

Enviar notícia para amigo(a)

Imagem de verificação

Notícias relacionadas

Facebook

Notícias deste período

Abono Salarial começa a ser pago em 28 de julho, diz ministério

Trabalhadores da Dana Holding aprovam termo que busca garantir empregos na empresa

Desemprego atinge 11,4 milhões de pessoas em maio, diz IBGE

1ª parcela do 13º de aposentados será paga a partir de 23 de agosto

Confiança da indústria brasileira registra o maior nível desde fevereiro de 2015

Prazo para sacar PIS/Pasep termina dia 30 de junho

Sindec convida a categoria para comemorar 84 anos de história

Fetracos e Sinprofar renovam convenção de saúde e segurança dos trabalhadores de farmácias

Inflação para o consumidor desacelera em Porto Alegre na terceira semana de junho

Queda na Selic pressionará bancos

Comerciários reelegem diretoria do Sindec/POA com 98% de aprovação

Mudanças na Previdência: governo quer tributação extra do agronegócio

Processo eleitoral do Sindec/POA transcorre dentro da normalidade

Taxistas de Porto Alegre protestam contra transporte clandestino via aplicativos

Investimento em empresas da Lava Jato leva FI-FGTS a perda de R$ 900 milhões

Metalúrgicos de Gravataí cobram agilidade no programa de renovação da frota para evitar desemprego

Eleições do Sindec iniciaram nesta manhã

Dirigentes debatem em reunião estadual da Fetracos-RS

Aumento do desemprego eleva desigualdade na distribuição de renda

Eleições do Sindec Porto Alegre começam amanhã

Audiência pública debate regulamentação do transporte é cancelada

Trabalhadores aprovam proposta de PPR negociada entre sindicato e GM

Nota Oficial - Força Sindical, CTB, CSB, NCST e UGT

Programa Empregar RS ocorre nesta sexta-feira em 77 municípios gaúchos

Audiência pública debate regulamentação do transporte

Mais notícias

Twitter

Jornais

Vídeos

8º Congresso da Força Sindical-RS

Confira os principais momentos do Congresso Estadual da Central

Outros vídeos

Campanhas






Quem somos

Sobre a Força Diretoria Atuação no Estado Metas Filiados

Secretarias

Juventude Meio ambiente Formação Sindical Saúde do trabalhador

Materias oficias

Álbum de fotos Vídeos Jornais Logotipos da Força Jingles

Publicações

Notícias Agenda Tweets Interativas Artigos

Comunicação

Fale conosco Informativo Canal RSS Como chegar Mapa do site

Campanhas

Fórum Social Mundial Faixa de Fronteira 2015 Bioma Pampa Posto de Saúde 24h Trabalho Decente
Força Sindical do Rio Grande do Sul
Cristovão Colombo, 203 - Porto Alegre
Rio Grande do Sul, Brasil
CEP 90560-003 - Fone: (51) 3228.0098
contato@fsindical-rs.org.br