Notícias

07/05/2015 11:40

Câmara aprova texto-base da MP que dificulta acesso ao seguro-desemprego

A MP faz parte do pacote de ajuste fiscal divulgado pelo governo no fim do ano passado.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou ontem (dia 6) o texto-base da Medida Provisória 665/14, que muda as regras de concessão do seguro-desemprego, do abono salarial e do seguro-defeso para o pescador profissional. O texto foi aprovado por 252 votos a 227. Os destaques oferecidos à matéria serão analisados nesta quinta-feira (7). Entre os pontos que ainda dependem da votação de destaques estão os prazos a serem observados pelo trabalhador para a solicitação do seguro.

Cerca de 200 sindicalistas da Força Sindical fazem, desde terça-feira (05), uma vigília na Câmara dos Deputados para sensibilizar os deputados a rejeitarem as medidas provisórias.

A redação aprovada pela Câmara é o relatório da comissão mista que analisou a MP, de autoria do senador Paulo Rocha (PT-PA). O relatório prevê que, para o primeiro pedido, o trabalhador precisará comprovar o recebimento de salários em pelo menos 12 meses nos 18 meses anteriores à data da dispensa.

No segundo pedido, deverá comprovar o recebimento de 9 salários nos 12 meses anteriores. A partir da terceira solicitação, a regra continua igual à atual: comprovar o recebimento nos seis meses anteriores à demissão.

A versão original da MP previa 18 salários em 24 meses no primeiro pedido e 12 salários em 16 meses no segundo requerimento.

Outra novidade em relação à regra atual é a proibição de usar esses mesmos períodos de salário recebido nos próximos pedidos, o que dificulta o recebimento do benefício em intervalos menores.

Esses pontos podem mudar se algum destaque sobre eles for aprovado.

Abono e meio rural

Devido ao acordo entre os líderes partidários para análise dos destaques, o Plenário votou dois deles nesta quarta-feira. Um deles, do Solidariedade, pretendia excluir do texto as mudanças sobre o pagamento do abono salarial, como seu direito proporcional ao número de meses trabalhados no ano anterior (1/12). Esse destaque foi rejeitado por 247 votos a 220.

Outro destaque votado e rejeitado, por 234 votos a 229, pretendia estender o direito ao seguro-desemprego a todos os trabalhadores rurais avulsos, que trabalham por safra, em vez de apenas para os contratados por prazo indeterminado.

Revisão da economia

Para 2015, o Ministério do Trabalho e Emprego previu que a MP original provocaria gastos menores com o seguro-desemprego (R$ 30,7 bilhões) e o abono salarial (R$ 12,3 bilhões).

Entretanto, de acordo com o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, as mudanças feitas pelo Congresso nessa MP e na 664/14, sobre pensões, já reduziram entre R$ 3 bilhões e R$ 3,5 bilhões a economia de R$ 18 bilhões prevista pelo governo com essas medidas provisórias.

Curso obrigatório

O texto de Rocha impõe ao trabalhador desempregado novo requisito para o recebimento do seguro: frequentar curso de qualificação profissional ofertado por meio do programa Bolsa-formação Trabalhador, no âmbito do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), ou com vagas gratuitas na rede de educação profissional e tecnológica. Um regulamento definirá a frequência no curso.

Agência Câmara e Força Sindical-RS

Link alternativo: http://fsindical-rs.org.br/n/1qY

Versão desta notícia em PDF




Tags:    força sindical   rs

Enviar notícia para amigo(a)

Imagem de verificação

Notícias relacionadas

Facebook

Notícias deste período

Economia brasileira encolheu 0,2% no primeiro trimestre, diz IBGE

Departamento jurídico do Sindec obtém vitória na justiça em favor dos comerciários

Força Sindical fala em traição de Dilma com trabalhadores

Governo admite PIB menor em 2016 e prevê salário mínimo de R$ 855

Senado aprova MP que altera regras de pensão por morte, auxílio-doença e fator previdenciário

Cresce o desemprego na Região Metropolitana de Porto Alegre

Sindec Canoas promove “Café da Família”

Diretor participa de debate sobre mudanças climáticas

Senado aprova MP que restringe o acesso ao seguro-desemprego

Sindicalistas da Força Sindical acompanham votação das MPs no Senado

Depois de reclamação, OIT apura aplicação de convenções no Brasil

Rodoviários de Porto Alegre paralisarão serviço nesta sexta

Trabalhador poderá investir FGTS em dívida do BNDES

Governo finaliza plano para frear demissões

Força Sindical aumenta mobilização contra MPs 664 e 665

Todos em Brasília na terça e quarta para derrubarmos as MPs 664 e 665

Fórum Unificado dos Comerciários promove unidade para avançar nas conquistas da categoria

SIMVIA realiza eleição para nomear integrantes de comissão setorial

Taxa de desemprego é a maior desde março de 2011

Aprovação de dois projetos garantem vitória aos municipários de Viamão

Diretor da Central participa de plenária da Força Sindical Bahia

Sindicato de Gravataí está com vagas abertas para curso de capacitação na cidade

Com risco de derrota do governo, Senado adia votação da MP 665 para a próxima semana

Desemprego no País vai aumentar em 2015, afirma OIT

Acordo entre Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí e GM é aprovado

Mais notícias

Twitter

Jornais

Vídeos

8º Congresso da Força Sindical-RS

Confira os principais momentos do Congresso Estadual da Central

Outros vídeos

Campanhas






Quem somos

Sobre a Força Diretoria Atuação no Estado Metas Filiados

Secretarias

Juventude Meio ambiente Formação Sindical Saúde do trabalhador

Materias oficias

Álbum de fotos Vídeos Jornais Logotipos da Força Jingles

Publicações

Notícias Agenda Tweets Interativas Artigos

Comunicação

Fale conosco Informativo Canal RSS Como chegar Mapa do site

Campanhas

Fórum Social Mundial Faixa de Fronteira 2015 Bioma Pampa Posto de Saúde 24h Trabalho Decente
Força Sindical do Rio Grande do Sul
Cristovão Colombo, 203 - Porto Alegre
Rio Grande do Sul, Brasil
CEP 90560-003 - Fone: (51) 3228.0098
contato@fsindical-rs.org.br