Notícias

Mobilização nacional 18/09/2015 14:41

Entidades planejam greves e manifestações contra pacote do governo

A Força Sindical também informou que fará mobilizações contra o governo federal.

Entre as principais medidas que devem ser adotadas, estão a volta da CPMF, o atraso de aumentos salariais a funcionários do Executivo e o congelamento de concursos públicos. O governo ainda quer cortar as emendas parlamentares e reduzir em R$ 3,8 bilhões os repasses dos congressistas ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). As medidas podem ter um impacto de R$ 64 bilhões nas contas públicas de 2016, conforme estimou o governo federal.

Na terça-feira (15) à noite, a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef) vai começar a discutir um calendário de mobilizações contra o governo. A entidade, que reúne 36 sindicatos e representa aproximadamente 80% dos servidores públicos do Poder Executivo, acredita que até mesmo uma greve geral pode ser realizada nos próximos dias. Atualmente, servidores do INSS, da Funai, do Ministério do Trabalho, do Incra e das Universidades Públicas Federais já estão com as atividades paralisadas. “Vamos discutir todas as possibilidades e uma das soluções é engrossar o movimento que já ocorre hoje”, disse o secretário-geral da Condsef, Sérgio Ronaldo da Silva. “Vamos ter que colocar ‘o bloco na rua’, sem dúvida”, complementou.

No caso específico dos servidores federais, a maior reclamação diz respeito ao atraso dos aumentos salariais de diversas categorias. “Isso já tinha sido acordado com o governo e não pode, simplesmente, ser esquecido”, disse Silva.  Somente com o atraso no repasse de reajustes dos servidores federais, próximo aos 20% de aumento, o governo calcula que economizará R$ 7 bilhões.

O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) também reagiu ao pacote e anunciou, nesta terça-feira (15), uma série de mobilizações que vão ocorrer na quarta-feira da próxima semana, dia 23. “A solução para o problema fiscal deve ser buscada em cima daqueles que ganharam como nunca nos últimos anos. Defenderemos nas ruas a taxação das grandes fortunas, de dividendos e remessas de lucro, além da maior progressividade no Imposto de Renda. Os ricos, banqueiros e empresários devem pagar a conta”, afirmou o MST, em nota oficial. “A saída para a crise é com o povo e não contra ele”, complementa.

Até a Central Única dos Trabalhadores (CUT), ligada ao governo, criticou o pacote do Planalto. A entidade vai fazer, ainda esta semana, uma reunião interna para planejar uma série de protestos contra o corte de gastos públicos e recriação de impostos. A expectativa é que sejam realizados atos em todo o Brasil até o final de setembro. “O pacote de medidas fiscais divulgado ontem (segunda-feira, 14) pelo Governo Federal, com o objetivo de supostamente reequilibrar as contas públicas, vai na contramão das necessidades do país e dos trabalhadores, pois onera a atividade econômica e reduz gastos sociais em um momento em que a recessão já atinge a todos (as)”, disse o presidente da CUT, Vagner Freitas, em nota oficial. “Nenhuma das medidas aponta para a retomada do crescimento e geração de empregos, que são os problemas mais urgentes e graves que enfrentamos atualmente”, complementou.

A Força Sindical também informou que fará mobilizações contra o governo federal. Além disso, a entidade pretende fazer uma articulação no Congresso para que as medidas anunciadas pelo governo não sejam aprovadas. Ao todo, das 16 medidas, apenas uma não depende de votações da Câmara ou do Senado, conforme informou matéria do jornal O Globo desta terça-feira. “Não permitiremos ataques aos direitos dos trabalhadores e tentativas de mudanças que os prejudiquem. Ações do governo devem priorizar propostas que visem a retomada do crescimento econômico, com geração de empregos e renda”, disse Miguel Torres, presidente da Força, também por meio de nota oficial.

Monólitos Post

Link alternativo: http://fsindical-rs.org.br/n/1vF

Versão desta notícia em PDF




Tags:    força sindical   rs

Enviar notícia para amigo(a)

Imagem de verificação

Notícias relacionadas

Facebook

Notícias deste período

Câmara instala amanhã Comissão Especial que vai elaborar proposta de custo da atividade sindical

Centrais se unem em repúdio a fusão do Ministério do Trabalho com Previdência

STIMMME revela talentos artísticos em festival musical

FGTS de doméstico começa a vigorar a partir desta quinta, dia 1º de outubro

Metalúrgicos da GM voltam ao trabalho, mas seguem preocupados com a crise econômica

“Diálogo com o MTE” marca o encerramento do Ciclo de Debates

Desafios do sindicalismo é tema abordado no Ciclo de Debates

Financiamento da atividade sindical: Câmara dos deputados instala comissão especial sobre financiamento sindical

Dirigentes discutem sobre autorregulamentação do movimento sindical

Movimento Sindical Brasileiro é tema de ciclo de debates da Fetracos-RS

Projeto que restringe veículos no centro de Porto Alegre pode colocar comércio em risco

Congresso mantém veto ao fim do fator previdenciário

Nota da Força Sindical sobre o pacote do governo enviado ao Congresso

Deputados gaúchos aprovam aumento do ICMS

Crise afeta mercado de emprego na Assistência Social e Formação Profissional

Rede de fast food é autuada por trabalho irregular de adolescentes

Dirigentes sindicais integram reunião da Aliança Global Walmart em Bogotá

Sindec Porto Alegre faz fiscalização no “Dia do Gaúcho”

Comitê Organizador do Fórum Social Mundial 2016 se reúne em Porto Alegre

Central recebe reunião do Brics Sindical Brasileiro

Metalúrgicos de Gravataí buscam acordo com a Digicon por PPR e grade salarial

Rio-2016 anuncia contratação de 90 mil trabalhadores para Olimpíada

Em crise, indústria prevê fechamento de mais de 610 mil vagas neste ano

Sindicato cobra da Previdência a regularização do sistema para aposentadorias via 85/95

Nova CPMF reforça sistema tributário que penaliza os mais pobres

Mais notícias

Twitter

Jornais

Vídeos

8º Congresso da Força Sindical-RS

Confira os principais momentos do Congresso Estadual da Central

Outros vídeos

Campanhas






Quem somos

Sobre a Força Diretoria Atuação no Estado Metas Filiados

Secretarias

Juventude Meio ambiente Formação Sindical Saúde do trabalhador

Materias oficias

Álbum de fotos Vídeos Jornais Logotipos da Força Jingles

Publicações

Notícias Agenda Tweets Interativas Artigos

Comunicação

Fale conosco Informativo Canal RSS Como chegar Mapa do site

Campanhas

Fórum Social Mundial Faixa de Fronteira 2015 Bioma Pampa Posto de Saúde 24h Trabalho Decente
Força Sindical do Rio Grande do Sul
Cristovão Colombo, 203 - Porto Alegre
Rio Grande do Sul, Brasil
CEP 90560-003 - Fone: (51) 3228.0098
contato@fsindical-rs.org.br