Notícias

18/02/2017 14:36

Força Sul define ações em busca do fortalecimento da Central

O grupo ainda aprovou uma moção de repúdio em relação às reformas trabalhistas, da previdência e ao aparelhamento partidário da Força Sindical.

A Força Sul, integrada pelas centrais do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, realizaram uma reunião no sábado (dia 18) com as lideranças sindicais para discutir o 8º Congresso Nacional da Força Sindical, os principais encaminhamentos além das ações para fortalecer a central.

Diversas lideranças que representam milhares de trabalhadores estiveram presentes. Do Rio Grande do Sul participaram o presidente em exercício da Central, Marcelo Furtado, o presidente licenciado, Clàudio Janta, o diretor Claudio Correa, o presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre (Sindec/POA), Nilton Neco, o diretor do Sindec/POA, Américo Cordeiro, e o presidente do Senalba/RS, Antonio Johann.

As posições defendidas pelos sindicalistas é sobre a necessidade de priorizar a luta da Central pelos trabalhadores, e que esta atitude independa de posições ou vínculos partidários.

“Estamos dando o contraponto e acho importante esse reagrupamento, discutindo e principalmente estarmos dando rumo para Força Sindical nas questões e atuações dentro da Central. Sempre buscamos um representante que quando falasse e discutisse alguma proposta fosse me nome da Força Sindical. É importante um posicionamento forte que faz a Força voltar para o seu rumo”, defendeu o presidente licenciado e também secretário-geral do Sindec/POA, Clàudio Janta.

Já o presidente do Sindec e secretário nacional de Relações Internacionais da Força Sindical, Nilton Neco, indagou: “Que Central queremos para nós” e ainda destacou:

“O que está se passando dentro da Central é algo que já era previsto, mas temos que avaliar que tipo de Central queremos, devemos fazer uma avaliação profunda sobre a forma de trabalhar e de fazer política para a Central, visando a representatividade da entidade”.

No mesmo sentido o presidente em exercício da Força Sindical-RS, Marcelo Furtado, defendeu: "Somos cobrados quanto à posição da Central, pois se tivéssemos o posicionamento correto, e não trelado a um partido político, poderíamos ser a maior central do país".

O anfitrião do grupo, o presidente da Força Sindical Santa Catarina, Osvaldo Mafra, analisou que a Força Sindical nacional precisa ouvir e atender as demandas dos Estados para que todos possam ajudar na luta pelos trabalhadores.

A Força Sul aprovou uma moção de repúdio em relação às reformas trabalhistas, da previdência e ao aparelhamento partidário da Força Sindical. Além disso definiu a realização de um seminário no mês de março, a fim de debater as ações para o Congresso Nacional.


CARTA DA FORÇA SUL

*MOÇÃO DE REPÚDIO ÀS REFORMAS DA PREVIDÊNCIA E TRABALHISTA E AO APARALHEMENTO PARTIDÁRIO

DA FORÇA SINDICAL*

Na condição de representantes de mais de dois milhões e meio de trabalhadores, nós, presidentes e diretores de entidades filiadas à Força Sindical nos estados de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, vimos a público manifestar nosso repúdio às mudanças que subtraem direitos dos trabalhadores, consignadas nas reformas da Previdência e Trabalhista do governo federal.

De mesmo modo manifestamos nossa contrariedade ao fato da Força Sindical encaminhar tratativas no Congresso Nacional sobre essas matérias sem abrir um amplo debate interno com seus sindicatos filiados, assumindo posições de um partido como se fossem da central sindical. Entendemos que as posições partidárias pessoais de dirigentes sindicais não devem, em hipótese alguma, sobrepor-se aos interesses dos trabalhadores.

Nossa central deve ser para o trabalhador não só no discurso de marketing, mas também em suas posições políticas e iniciativas.

Reafirmamos as posições dos 5º, 6º e 7º congressos nacionais da Força Sindical, no sentido de manter a unicidade pela base, a qual vem sendo afrontada constantemente por encaminhamentos da Secretaria de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Por fim, destacamos: Urge que a Força Sindical de uma guinada efetiva no sentido da luta trabalhista e se blinde contra interferências partidárias, sob pena de uma grande debandada de sindicatos, sob pena do enfraquecimento da classe trabalhadora e do esfacelamento de todo o arcabouço de direitos que conquistamos, a duras penas, com anos de luta.

 

Florianópolis, 19 de fevereiro de 2017

 

Foto: André Nojima


Link alternativo: http://fsindical-rs.org.br/n/264

Versão desta notícia em PDF




Tags:    força sindical   rs

Enviar notícia para amigo(a)

Imagem de verificação

Notícias relacionadas

Facebook

Notícias deste período

Confiança do comércio cresce em fevereiro

Rodoviários protestam em Porto Alegre contra proposta de reajuste

Desemprego atinge quase 13 milhões de pessoas no Brasil

Metalúrgicos de Gravataí recebem visita do Ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira

Centrais sindicais pedem mais participação em debates sobre reformas

Entrega da declaração do Imposto de Renda começa em 2 de março e segue até 28 de abril

Consumidores esperam inflação de 7,6% em 12 meses a partir de fevereiro, diz FGV

Na Força, relator promete cobrar Previdência de filantrópicas

Mercado reduz estimativa de inflação para 4,43%

Seven Boys confirma demissão de 350 funcionários de fábrica em Porto Alegre

Congresso recebe projeto que elimina multa adicional em demissão sem justa causa

Reforma trabalhista vai consolidar os direitos dos trabalhadores, diz ministro

Rodoviários recusam proposta e prometem paralisação em Porto Alegre

Setor de serviços registra queda de 5% no RS em 2016

Liberação de saque do FGTS começa em 10 de março e vai até 31 de julho

Reforma da Previdência: uma Emenda dos trabalhadores

Calendário de saques de contas inativas do FGTS deve ser anunciado no dia 14 de fevereiro

Inflação para o consumidor cai em Porto Alegre na primeira semana de fevereiro

13 mil gaúchos serão avisados de irregularidades no Imposto de Renda

Criação da comissão especial da reforma da Previdência é lida na Câmara

Fiscalização atua no feriado para garantir os direitos da categoria

Rodoviários fazem manifestação contra possíveis demissões de cobradores

Saques do FGTS podem beneficiar o varejo gaúcho

Mais notícias

Twitter

Jornais

Vídeos

8º Congresso da Força Sindical-RS

Confira os principais momentos do Congresso Estadual da Central

Outros vídeos

Campanhas






Quem somos

Sobre a Força Diretoria Atuação no Estado Metas Filiados

Secretarias

Juventude Meio ambiente Formação Sindical Saúde do trabalhador

Materias oficias

Álbum de fotos Vídeos Jornais Logotipos da Força Jingles

Publicações

Notícias Agenda Tweets Interativas Artigos

Comunicação

Fale conosco Informativo Canal RSS Como chegar Mapa do site

Campanhas

Fórum Social Mundial Faixa de Fronteira 2015 Bioma Pampa Posto de Saúde 24h Trabalho Decente
Força Sindical do Rio Grande do Sul
Cristovão Colombo, 203 - Porto Alegre
Rio Grande do Sul, Brasil
CEP 90560-003 - Fone: (51) 3228.0098
contato@fsindical-rs.org.br