Notícias

Dia Internacional da Mulher 08/03/2012 9:58

Poesia, luta e emoção: Força do Pensamento A Vez da Mulher abre os ciclos de debates da Força Sindical-RS em 2012

Na abertura das comemorações do Dia Internacional da Mulher a produtora cultural Silvia Duarte abriu o ciclo de debates Força do Pensamento com a leitura da poesia "De mulher para Mulher" emocionando as presentes. O ciclo de debates tem sua primeira edição de 2012 nesta data fundamental para o mundo.

 

"Mês especial pelas comemorações às mulheres. Entre todos os projetos que temos, o Força do Pensamento este ano começa neste dia tão importante", disse Sílvia Duarte.

O presidente da Força Sindical-RS e da Fetracos, Clàudio Janta, saudou as presentes e elogiou o papel das mulheres a nível familiar, social e mundial.

"Deus realmente criou o homem primeiro, porque as mulheres são a obra melhor acabada. Esperamos que a cada dia os homens aprendam com as mulheres, que hoje dirijem o mundo. Não à toa que nesta semana duas grandes mulheres se reuniram, a presidente do Brasil e a presidente da Alemanha. A presidente brasileira nos orgulha pela praticidade e pela resolução de imediato", afirmou Janta.

"Queria agradecer a todas as mulheres do movimento sindical, pois vocês colocam a sensibilidade no momento em que temos que avançar na luta. Feliz 8 de março para você, que o dia de hooje seja de experência e aprendizado", cumprimentou Janta.

Painel Violência contra a Mulher

Sandra Canali, coordenadora de Obstetríciado do Hospital Fêmina, falou no Painel Violência contra a Mulher e abordou  as experiências do Acolhimento a pacientes Mulheres vítimas de violência sexual. A especialista explicou oos procedimentos de recuperação da mulher vítima de agressão. "São poucas medicações ao dia e é fundamental fazer a prevenção no atendimento na ocorrência imediata", explicou Sandra. 7

Exames de hepatite, HIV e demais DSTs são feitos, além do acompanhamento psicológico."O exame médico não substitui o exame de corpo de delito", disse a especialista.

O atendimento tardioo ocorre quando a paciente chega ao socorro seis dias depois da violência. "Mas nesse momento já passou o período da prevenção à gravidez e do HIV e isso é importante esclarecer: existe a prevenção, mas deve ser feita o quando antes", disse.

"Se a gravidez ocorrer em caso de estupro, há a possibilidade do aborto legal, num procedimento interno do hospital. Também pode haver o encaminhamento para a adoção", apontou a especialista.

A mediadora Ivone Simas, presidente do Sec/Guaíba, questionou o que fazer quando a mulher tem medo de enfrentar os familiares nos casos de violência. Ela fez um relato pessoal de violência doméstica emocionando os participantes. Também foi perguntado onde existem pontos de atendimento às mulheres.

Sandra explicou que a paciente tem que querer ser tratada e partir dela a iniciativa de procurar auxílio. Assim, orientar uma amiga, vizinha, parente para que procure auxílio é imporntante. Porém a Lei Maria da Penha se tornou um instrumento mais eficaz na rede de apoio às mulheres.

A Lei Maria da Penha é uma proteção das mulheres, inclusive com as recentes mudanças na lei, que estipula que a denúncia pode ser feita por um terceiro e que a mulher não pode voltar atrás da denúncia.

Quando a violência é feita no trabalho, o atendimento psicolóogico é fundamental, além da proteção da lei trabalhista. "Assédio moral e sexual, são casos tipificados. Sempre orientamos a categoria a, em primeiro lugar, registar ocorrência", explicou a presidente do Sec Guaíba, Ivone Simas. Ter provas e testemunhas auxiliam a enquadrar o agressor mais rápido.

Se o agressor for funcionário, é punido sem acarretar perda do emprego. O problema é quando o agressor é patrão. Ivone orienta que neste caso entre-se com rescisão indireta no trabalho, não perdendo direitos, mas com rompimento de contrato. A denúncia é necessária para que o agressor responda ainda a processo criminal a seguir. Portanto, denuncie sempre.

Pelo telefone 180 as mulheres podem procurar auxílio e fazer denúncias.

A dra. Sandra disse que há casas sigilosas de atendimento às mulheres vítimas de violência, que protegem sem informar ao familiar agressor onde a vítima está.

Muitos colaboradores e trabalhadores participaram do painel, inclusive com questionamentos. As integrantes do Sindicato dos Aposentados se fizeram presente em grande número, além de várias outras categorias como comerciárias, líderes sociais e integrantes da Federação da Saúde.

O vice-presidente da Fetracos, Dionísio Mazui, entregou flores e o certificado para a painelista. Ivone Simas recebeu flores de Ivan Severo, do Sindicato dos Motoristas Oficiais.

Texto: Josemari Quevedo

Realização: Instituto Girassol

 

Link alternativo: http://fsindical-rs.org.br/n/17b

Versão desta notícia em PDF




Tags:    força sindical   rs   dia internacional das mulheres   força do pensamento   painel um

Enviar notícia para amigo(a)

Imagem de verificação

Notícias relacionadas

Facebook

Notícias deste período

Força Sindical debate Imposto Sindical na TV AL ; Programa Democracia vai ao ar hoje, 23h

Ioran Etchechury perto do Mundial de Atletismo

Fator: centrais e Câmara de Negociação vão resgatar proposta da fórmula 85/95

Governo vai taxar produtos importados e reduzir impostos da indústria nacional

Força Sindical-RS debate a Rio 20 na Argentina

Mantega confirma a mais três setores benefício da desoneração da folha de pagamento

Congresso promulga emenda da integralidade dos proventos por invalidez

Força Sindical-RS e lideranças nacionais participam do Grito de Alerta em SC

Aventura irresponsável leva vigilantes à derrota

Grito de Alerta pelo Emprego e a Indústria faz ato em Santa Catarina; Janta participa entre as lideranças

Jornada de Debates do Dieese coloca em pauta as Negociações Coletivas e a Rotatividade

Secretário de RI da Força representa trabalhadores em reunião da OIT

Secretário Nacional da Juventude da Força representa o Brasil em Israel durante curso para jovens

OIT aprova Convenção 189 - Trabalhadoras (es) domésticas (os)

Dirigentes da central acompanham a sanção do Piso Regional no Piratini

Deputados se mobilizam pelo emprego e a indústria gaúcha; Sindicalistas fortalecem movimento nacional Grito de Alerta

Ação cobra revisão de aposentadoria por invalidez, auxílio-doença e pensões por morte

Gerdau reforça discurso de ato contra a desindustrialização

Prévia do PIB cai 0,13% em janeiro

Fazenda amplia desoneração de IPI, mas não quer demissões

Justiça repassa R$ 15 bilhões em 2011 aos trabalhadores

Porto Alegre abre atos nacionais e conquista apoio de Tarso; Lideranças nacionais integram ato pelo emprego e indústria

Comerciários participam de grande ato Grito de Alerta pelo Emprego e a Indústria em PoA; Lideranças sindicais são destaque

Vila Jardim, em Porto Alegre, recebe com alegria e cidadania a festa da Força Sindical-RS

Tudo pronto para o grande ato pelo desenvolvimento do Brasil em Porto Alegre; Passeata Grito de Alerta é hoje

Mais notícias

Twitter

Jornais

Vídeos

Dia Nacional de Mobilização e Luta - 30 de agosto

A Força Sindical-RS mobilizou trabalhadores e dirigentes sindicais para o Dia Nacional de Mobilização e Luta para reivindicar o atendimento a Pauta Trabalhista pelo governo federal.

Outros vídeos

Campanhas






Quem somos

Sobre a Força Diretoria Atuação no Estado Metas Filiados

Secretarias

Juventude Meio ambiente Formação Sindical Saúde do trabalhador

Materias oficias

Álbum de fotos Vídeos Jornais Logotipos da Força Jingles

Publicações

Notícias Agenda Tweets Interativas Artigos

Comunicação

Fale conosco Informativo Canal RSS Como chegar Mapa do site

Campanhas

Bioma Pampa 6º Seminário Faixa de Fronteira Fórum Social Mundial Temático 2014 CPI da Telefonia Posto de Saúde 24h
Força Sindical do Rio Grande do Sul
Cristovão Colombo, 203 - Porto Alegre
Rio Grande do Sul, Brasil
CEP 90560-003 - Fone: (51) 3228-0098
contato@fsindical-rs.org.br