Notícias

Reforma da Previdência 20/04/2017 11:30

Reforma da Previdência está pronta para ser votada a partir de maio

Relatório foi lido na comissão especial, por onde passará pela primeira votação

A leitura do relatório da reforma da Previdência foi encerrada nessa quarta-feira (19) na comissão especial criada para analisar o projeto, onde deve ser votado no dia dois de maio. Na semana que vem, haverá a discussão da proposta.

O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), fez uma modificação no texto para acelerar a transição para a idade mínima de aposentadoria de 62 anos para as mulheres. Ele havia divulgado uma versão preliminar, fixando uma idade mínima de aposentadoria de 53 anos para as mulheres e de 55 anos para os homens logo após a promulgação da emenda. Nessa versão, a idade das mulheres aumentava 11 meses a cada dois anos a partir de 2020.

No texto apresentado à comissão, tanto a idade mínima dos homens quanto a das mulheres vai aumentar um ano a cada dois anos, chegando aos 65 anos em 2038 para os homens e, em 62 anos em 2036 para as mulheres.

Na transição da reforma, quem já está no sistema terá um pedágio de 30% do tempo de contribuição necessário para a aposentadoria pelas regras atuais. Ou seja, se a emenda passar a valer em 2017, uma mulher com 20 anos de contribuição no momento da promulgação da emenda precisaria de mais 10 anos para completar o mínimo de 30 anos atual. Com o pedágio, isso se eleva para 13 anos. Portanto, só em 2030 ela cumpriria esse requisito. Como em 2030 a idade mínima passará para 59 anos, ela terá que cumprir essa condição de idade.

Tempo de contribuição

O texto mantém o aumento de 15 para 25 anos do tempo mínimo de contribuição para acesso ao benefício, que será igual a 70% da média de todos os salários de contribuição desde julho de 1994. Após 25 anos de contribuição, cada ano seria contado a mais, possibilitando a obtenção de 100% da média aos 40 anos de contribuição e não mais aos 49 anos como constava na proposta original. Hoje o valor depende de uma fórmula que leva em conta tempo de contribuição e a idade.

Trabalhadores rurais

No caso dos trabalhadores rurais, a idade mínima será de 60 anos para os homens e 57 anos para as mulheres após um período de transição.

O tempo de contribuição mínimo para estes trabalhadores foi proposto em 15 anos. O deputado Pepe Vargas (PT-RS), criticou a manutenção, pelo relator, da criação de uma nova contribuição do trabalhador rural em substituição à contribuição sobre a produção vendida. "Achar que todos os trabalhadores rurais podem ter contribuição mensal é desconhecer a realidade e a diversidade do Brasil rural. Milhões de agricultores familiares não têm condição de pagar contribuição mensal"

Policiais federais

No relatório final, também foi definido que os policiais federais terão idade mínima para se aposentar de 55 anos logo após a promulgação da emenda.

As regras permanentes para os policiais serão definidas em outro texto legal. Arthur Maia explicou que as regras dos policiais já vinham sendo negociadas separadamente há algum tempo e condenou a manifestação de alguns policiais que acabou resultando na quebra de vidros da entrada do Congresso na última terça-feira.

O parecer do relator prevê que os policiais que ingressaram na carreira antes da instituição da previdência complementar terão, na aposentadoria, a integralidade dos vencimentos desde que cumpram outros requisitos. Já os que ingressaram depois serão submetidos à regra geral do INSS como os demais servidores.

GAÚCHA E AGÊNCIA CÂMARA


Link alternativo: http://fsindical-rs.org.br/n/274

Versão desta notícia em PDF




Tags:    força sindical   rs

Enviar notícia para amigo(a)

Imagem de verificação

Notícias relacionadas

Facebook

Notícias deste período

Greve Geral: Trabalhadores ocuparam as ruas na luta por seus direitos

Em coletiva de imprensa, Centrais reforçam unidade para a Greve Geral

Centrais se unem por greve geral

“O Brasil vai parar”: Centrais intensificam chamamento para dia 28 de abril

Nilton Neco, da Força Sindical, é eleito Secretário Geral da Alternativa Democrática Sindical - ADS

Câmara aprova regime de urgência para votação do projeto de reforma trabalhista

Comerciários de Porto Alegre aderem ao "Dia Nacional de Atos e Paralisações", 28 de abril

Governo cede à oposição e aceita adiar votação de reforma da Previdência em comissão

SENALBA/RS adere a paralisação de 28 de abril

Sindicato dos Comerciários realiza curso de CIPA na Copagra, em Porto Alegre

Trabalhadores aprovam reajuste salarial de 4,57%

Centrais articulam ações para o dia 28 de abril

Força Sindical cria Central para América Latina

Fim da unicidade sindical deve retirar direitos dos trabalhadores e enfraquecer sindicatos

Comerciários de Porto Alegre movem ação judicial contra shoppings por descumprirem lei municipal

Central pressiona bancada gaúcha: “Se votar, não vai voltar!”

Central fará protesto no aeroporto nesta terça-feira (11)

Diretoria dos Vigilantes de Novo Hamburgo toma posse

Força Sindical-RS articula ações para o dia 28 de abril “Dia de Atos e Paralisações”

Sindec-POA ingressa com ação contra Farmácias Mais Econômica

Previdência: regra de transição proposta pelo governo será aliviada

Seminário da Força Sul reforça luta em defesa dos trabalhadores

A luta é de todos os brasileiros!

Sine oferece 32 vagas de emprego em Porto Alegre nesta semana

Mais notícias

Twitter

Jornais

Vídeos

8º Congresso da Força Sindical-RS

Confira os principais momentos do Congresso Estadual da Central

Outros vídeos

Campanhas






Quem somos

Sobre a Força Diretoria Atuação no Estado Metas Filiados

Secretarias

Juventude Meio ambiente Formação Sindical Saúde do trabalhador

Materias oficias

Álbum de fotos Vídeos Jornais Logotipos da Força Jingles

Publicações

Notícias Agenda Tweets Interativas Artigos

Comunicação

Fale conosco Informativo Canal RSS Como chegar Mapa do site

Campanhas

Fórum Social Mundial Faixa de Fronteira 2015 Bioma Pampa Posto de Saúde 24h Trabalho Decente
Força Sindical do Rio Grande do Sul
Cristovão Colombo, 203 - Porto Alegre
Rio Grande do Sul, Brasil
CEP 90560-003 - Fone: (51) 3228.0098
contato@fsindical-rs.org.br