Notícias

Direitos 16/12/2011 11:23

Retenção de CTPS: trabalhadora será indenizada pelo ex-empregador

Retenção da carteira de trabalho pelo empregador causa prejuízos ao empregado, uma vez que a falta do documento dificulta a busca e a obtenção de novo emprego

 

A Autômatos Industrial terá que pagar R$2 mil de indenização por danos morais porque demorou a devolver a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) de ex-empregada após a rescisão do contrato. Com base em voto do ministro José Roberto Freire Pimenta (foto), a Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho rejeitou recurso de revista da empresa contra a indenização.

A condenação foi imposta, inicialmente, pelo Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR), ao concluir que a retenção da carteira de trabalho por 33 dias pelo empregador causara prejuízos presumíveis à empregada, uma vez que a falta da carteira dificulta a busca e a obtenção de novo emprego.

No recurso ao TST, a empresa afirmou que não houve comprovação de dano em função da demora na devolução da carteira e, portanto, era incabível a indenização por danos morais. A empresa admitiu apenas a ocorrência de lesão administrativa sujeita à multa prevista no artigo 53 da CLT. A trabalhadora, por outro lado, argumentou que o artigo 29 da CLT estabelece prazo de 48 horas para o empregador fazer as necessárias anotações na carteira de trabalho, e que o descumprimento da norma gera direito à indenização.

Como explicou o relator, a questão central discutida no processo é a necessidade ou não de prova inequívoca da perda de oportunidade de emprego decorrente do fato de a empregada não estar de posse da sua carteira de trabalho para autorizar o pagamento da indenização por danos morais, nos termos do artigo 5º, inciso X, da Constituição Federal.

Para que se configure a existência do dano moral e a consequente obrigação de indenizar o ofendido, torna-se indispensável que tenha ocorrido o ato ilícito (culposo ou doloso), a constatação do dano e o nexo de causalidade entre o dano sofrido e a conduta ilícita, afirmou o ministro. Como a carteira de trabalho é documento obrigatório para o exercício de qualquer profissão e para registro do contrato de emprego (artigo 13 da CLT), passa dos limites e pratica ato ilícito o empregador que só a devolve depois do prazo legal de 48 horas.

Segundo o relator, não é possível desconsiderar o fato de que o atraso na devolução da CTPS sujeita o trabalhador a uma previsível dificuldade de obtenção de novo emprego, com graves consequências de ordem social e econômica para o profissional, além de ofensa à sua dignidade – elementos suficientes para caracterizar o dano moral e a obrigação de indenizar.

FONTE: TST

 

Link alternativo: http://fsindical-rs.org.br/n/12S

Versão desta notícia em PDF




Tags:    força sindical   rs   direitos   CTPS   Carteira de Trabalho

Enviar notícia para amigo(a)

Imagem de verificação

Notícias relacionadas

Facebook

Notícias deste período

Aposentadorias vão ter aumento de 6,3%

Apenas 20% dos funcionários de aeroportos poderão fazer greve

Trabalhadores recorrem e inscrevem chapa para a FEESSERS

Conheça um pouco mais sobre a trajetória de Ioran, o atleta da Força Sindical-RS

Dom Dadeus recebe homenagem pelos 50 anos de ordenação; Arcebispo celebra anualmente dia do Trabalhador com a Força

Governo veta aumento das aposentadorias acima da inflação

Três novas categorias podem ser incluídas no reajuste do piso regional

Secretarias se reúnem para tratar sobre Forum Social Temático 2012

Governo anuncia piso regional de R$ 700,00 a partir de março de 2012

Atividade na Restinga encerra calendário Natalino da Força Sindical-RS

Festas Natalinas animam comunidade Camaquã e Costa e Silva

Paulinho e aposentados se reúnem amanhã com ministro Garibaldi Alves

Crianças das comunidades de Porto Alegre têm Natal especial com presentes e festa

O Pronatec e o desafio de qualificar milhões

Metalúrgicos de Gravataí entregam Cestas de Natal

Comerciários da Força Sindical promovem rearticulação em seminário do Sentracomserv

Força propõe antecipar recursos para o início da qualificação

Crianças da comunidade de Vila das Placas têm tarde de brincadeiras e surpresas

Dilma veta uso de recursos do FGTS para obras da Copa

Câmara aprova free shops em cidades gêmeas de fronteira

FST 2012 divulga programação básica

Seminário do Sentracomserv debate sindicalismo, negociação e conjuntura

Força Sindical RS recebe homenagem na Câmara de Uruguaiana

Centrais pressionam pela votação do piso regional

Centrais defendem nesta terça a valorização do piso regional

Mais notícias

Twitter

Jornais

Vídeos

Dia Nacional de Mobilização e Luta - 30 de agosto

A Força Sindical-RS mobilizou trabalhadores e dirigentes sindicais para o Dia Nacional de Mobilização e Luta para reivindicar o atendimento a Pauta Trabalhista pelo governo federal.

Outros vídeos

Campanhas






Quem somos

Sobre a Força Diretoria Atuação no Estado Metas Filiados

Secretarias

Juventude Meio ambiente Formação Sindical Saúde do trabalhador

Materias oficias

Álbum de fotos Vídeos Jornais Logotipos da Força Jingles

Publicações

Notícias Agenda Tweets Interativas Artigos

Comunicação

Fale conosco Informativo Canal RSS Como chegar Mapa do site

Campanhas

Bioma Pampa 6º Seminário Faixa de Fronteira Fórum Social Mundial Temático 2014 CPI da Telefonia Posto de Saúde 24h
Força Sindical do Rio Grande do Sul
Cristovão Colombo, 203 - Porto Alegre
Rio Grande do Sul, Brasil
CEP 90560-003 - Fone: (51) 3228-0098
contato@fsindical-rs.org.br